fbpx

Recomendações para adubação

O trigo está com sintomas de deficiência de nutrientes? Adubação – quanto e quando?

O sistema de adubação de precisão Meteobot® Nitro responde a essas perguntas. Ele leva em consideração os fatores mais importantes dos quais depende a absorção de nitrogênio e, portanto, a produtividade e a qualidade dos grãos:

  • Clorofila nas folhas;
  • Precipitação;
  • Umidade no solo;
  • Temperatura do solo;
  • Variedade de trigo;
  • Tipo e composição do solo.

Com base nisso, o sistema faz recomendação sobre a quantidade de nitrogênio necessária para atingir a produtividade e a qualidade de grãos necessários reduzindo os custos para fertilizante nitrogenado.

Como acontece isto na prática?

Os gráficos a seguir ilustram as produtividades médios e o teor de proteína dos ensaios de campo realizados em 2018/2019. É bem visível que para atingir uma qualidade boa para o trigo para pão (e, respetivamente, preço de venda mais alto), neste caso, foi necessária a quantidade mínima de 10 kg de substância ativa de nitrogênio por 10.
Average YieldAverage Protein Content

O que é Meteobot® Nitro?

Meteobot® Nitro consiste nos componentes:

  • Monitoramento de cultura via satélite

    As imagens de satélite acompanham o desenvolvimento das culturas durante o ano agrícola. As áreas fortes, moderadas e fracas são facilmente reconhecidas através o índice de vegetação NDVI.

  • Medição do teor de clorofila

    A clorofila nas folhas da planta corresponde diretamente ao teor de nitrogênio. Medindo a clorofila, você obtém informações sobre a quantidade de nitrogênio recebida pelas plantas até ao momento. A medição se faz imediatamente antes da adubação. Realizar uma medição por cada área diferente identificada nas imagens de satélite é recomendada.

  • Estação meteorológica compacta Meteobot® Micro

    A estação meteorológica mede e envia em tempo real as informações sobre precipitações, umidade de solo e temperatura de solo. Os dados são armazenados e calculados a partir do dia da semeadura até ao momento. Além disso Meteobot® Micro proporciona uma previsão local do tempo para o ponto em que foi instalado.

  • Análise de solo

    A análise compreende informações sobre o tipo de solo (argiloso, arenoso, siltoso) e, respetivamente, a sua capacidade de reter umidade e nutrientes, o risco de lavagem do nitrogênio, etc. Além disso, você obtém dados sobre pH, húmus, presença de enxofre, fósforo, potássio e oligoelementos que influenciam diretamente a absorção de nitrogênio e, portanto, a produtividade.

  • Recomendações de adubação

    Com base nos dados sobre o teor de clorofila, as precipitações a umidade e temperatura do solo, tipo e conteúdo do solo, previsão do tempo e variedade de trigo, proporcionamos uma recomendação individual de adubação.

Entre em contato conosco para obter a nossa proposta para a sua fazenda:
+359 896 95 96 28
info@meteobot.com

Teor de clorofila – adubação estimada?

As plantas que se desenvolvem bem absorvem mais nitrogênio, têm maior teor de clorofila e, portanto, proporcionam maiores produtividades. A medição do teor de clorofila mostra a quantidade de nitrogênio absorvida pelas plantas até ao momento e a quantidade necessária para atingir seu potencial máximo de produtividade.
A medição é realizada com um medidor digital de clorofila diretamente no campo. Você não precisa rasgar folhas e enviá-las para um laboratório de análises químicas. A medição se faz imediatamente antes da adubação. Dessa forma, você tem as informações mais atualizadas sobre a quantidade de nitrogênio que precisa aplicar.

Chlorophyll Content – How Much to Fertilize

Precipitações e temperatura – adubação estimada?

Os principais fatores que têm uma influência sobre a absorção de nitrogênio (e, respetivamente, a produtividade) são a precipitação e a temperatura. Se não houver umidade, a planta não pode absorver o nitrogênio disponível do solo. Da mesma forma, se a temperatura for baixa (abaixo ds 5 ° C), a vegetação pára e a planta não digere nutrientes.
A absorção de nitrogênio não é uniforme ao longo do tempo. O trigo precisa de mais nitrogênio durante o seu desenvolvimento turbulento no final do afilhamento e na fase de alongamento do colmo. No entanto, o nitrogênio só deve ser introduzido se houver umidade suficiente no solo ou se houver expetativa de quantidade suficiente de precipitações. Caso contrário, existe o risco de simplesmente se perder esse nitrogênio na fase do espigamento e o trigo estaria correndo o risco de murchar. Portanto, é muito importante monitorar a umidade do solo, a estimativa de precipitação esperada e a precipitação real.
Se houver quantidade suficiente de precipitações, uma estratégia razoável é aplicar mais nitrogênio para alcançar maior produtividade.
Por outro lado, se o solo estiver seco, é melhor não aplicar nitrogênio até que haja uma previsão de chuva.
Toda esta informação você recebe automaticamente da estação meteorológica compacta Meteobot® Micro diretamente no seu celular. O tamanho pequeno e o GPS integrado de segurança e rastreamento permitem que a estação seja montada no campo.

Meteobot Micro

Meteobot® Micro envia dados em tempo real sobre precipitações, umidade do solo e temperatura do solo. Além disso, você tem uma previsão do tempo local para os próximos 10 dias para o ponto em que a estação é montada.

Imagens de satélite

Se o campo for homogêneo, basta medir o nível de clorofila num só ponto. Se o campo tiver zonas não homogêneas, precisa medir o nível em cada zona identificada. Como identificamos as áreas? A maneira mais fácil é pelas imagens de satélite – por exemplo, Onesoil ou At.farm.

Meteobot Nitro NDVI

Como pode ver na imagem, existem três áreas principais neste campo: forte (verde escuro), média (verde) e fraca (verde claro). Neste caso é preciso fazer três medições de clorofila – uma em cada área. Isso lhe dará a taxa de adubação aplicável para cada área. No caso específico, por exemplo, para a área forte, recebemos uma recomendação para 40 kg de substância ativa de nitrogênio por dez acres, na média – 60 kg e na fraca – 80 kg.
Se você fertilizar com uma e mesma taxa, poderá obter o valor médio para todo o campo.
É possível, claro, usar a adubação de aplicação variável.

Adubação de aplicação variável

É muito fácil – as taxas de adubação resultantes em cada zona são introduzidas no software de imagens de satélite. Por sua vez ele elabora automaticamente um mapa de adubação variável. Você pode baixá-lo como um arquivo numa unidade flash USB e carregá-lo na navegação GPS do seu trator – p.ex. Trimble, Amazone, Raven, Ag Leader, John Deere, Topcon, entre outros.

Променливо торене Onesoil

Estratégias de adubação variável

Existem duas estratégias principais para a adubação variável. Pela primeira, a chamada “socialista”, se aplica mais fertilizante nas áreas mais fracas e menos nas mais fortes. Esta estratégia é apropriada para o início da temporada, quando as zonas mais fracas têm tempo para alcançar o desenvolvimento das mais fortes. O efeito disso é que a produtividade das diferentes áreas do campo é equilibrada. Resultam assim menores perdas de colheita, pois as configurações da colheitadeira não precisam ser alteradas/configuradas drasticamente de zona para zona.

No entanto, essa estratégia tem uma peculiaridade. De acordo com as análises de campo realizadas pelos técnicos da Onesoil, se aplicar mais fertilizantes nas áreas fracas, não terá maior produtividade em 55% dos casos. A razão para isto é que o fator que restringe a produtividade, regra geral não é o nitrogênio, antes é, por exemplo, o solo ácido (baixo pH), terreno acidentado (drenagem rápida ou inundação), deficiência de nutrientes, etc. Para que a estratégia “socialista” funcione, você precisa descobrir qual é o fator que restringe e elimina-lo, se for possível. Se não tiver como elimina-lo, não adianta aplicar mais fertilizantes nas áreas fracas, porque isso só aumentará as perdas.

A segunda estratégia é chamada “capitalista”. Consiste em aplicar mais fertilizante nas áreas mais fortes e menos nas mais fracas. Esta estratégia é aplicada no final da temporada, quando as plantas fracas não têm tempo para absorver maior quantidade de fertilizante. O efeito dessa estratégia é explorar o potencial máximo de produtividade das áreas fortes.

Análises do solo – quais os fatores que restringem?

O efeito da adubação nitrogenada também depende do tipo e da composição química do solo. Por exemplo, mesmo se aplicarmos muito nitrogênio, ele não será absorvido efetivamente, se os valores de pH estiverem baixos (solo ácido), se não houver carbono suficiente (substância orgânica) e oligoelementos. Além disso, se o solo for arenoso e houver precipitações fortes, o nitrogênio será facilmente lavado e as plantas permanecerão com deficiência nutricional. Por causa desses e outros fatores, observamos casos em que a adubação com 40 kg / dez acres de nitrogênio ativo (habitualmente é de 17-20 kg), não aumentou significativamente a produtividade.

Portanto, a fim de maximizar o efeito da adubação nitrogenada, recomendamos a análise do solo para:

  • Tipo de solo (argiloso, arenoso, siltoso);
  • Capacidade para reter nutrientes (capacidade de troca de cátions);
  • Perigo de remoção o nitrogênio;
  • pH;
  • Húmus;
  • Quantidade de fósforo e potássio;
  • Quantidade de enxofre e outros oligoelementos.
Physical Soil Analysis
Análise física do solo
Chemical Soil Analysis
Análise química do solo

Todo fazendeiro conhece os seus campos. Habitualmente não é preciso levar 50 amostras para constatar que existem 2 ou 3 áreas de solo no seu campo. Isso custa muito e não é eficaz. Além disso, o mapeamento do solo não é muito adequado para a adubação nitrogenada. O nitrogênio é muito móvel no solo – se fizer análises do solo antes da semeadura, é muito provável que parte dele se perca antes que as plantas o tenham absorvido.

Por isso usamos as análises de solo para descobrir se existem os assim chamados fatores que restringem a produtividade. Quando esses fatores forem eliminados (por exemplo, adubação com enxofre, calagem para aumentar o pH, plantio de resíduos de plantas, etc.), o efeito total da adubação nitrogenada pode ser alcançado.

Peculiaridades das variedades

As recomendações para a adubação da Meteobot® Nitro são consistentes para as várias variedades de trigo. Como se sabe, algumas variedades são visivelmente mais verdes (ou seja, com maior teor de clorofila), mas isso não significa necessariamente que elas têm produtividades mais altas. Para levar em conta essas peculiaridades, realizamos ensaios de campo com muitas variedades de trigo e em diferentes lugares. Desenvolvemos, deste modo, algoritmos precisos de adubação das variedades que foram sujeitos dos ensaios, e algoritmo universal para os demais.

Qual é o resultado?

O seguinte mapa tecnológico mostra o resultado da adubação com Meteobot® Nitro:

* O preço se refere ao trigo para pão no mercado interno válido para o dia 05.07.2019

Saiba mais sobre os resultados dos ensaios de campo…

Entre em contato conosco para receber uma oferta individual para a sua fazenda:
+359 896 95 96 28
info@meteobot.com

Meteobot Meteostation